Seguidores

quinta-feira, 22 de março de 2012

Escolas Promotoras de Saúde

Escolas Promotoras de Saúde


Todas as escolas deverão ser promotoras da saúde, no entanto para integrar a rede de EPS deverão distinguir-se pela inovação, cultura de desenvolvimento individual e organizacional, bem como pela implementação efectiva dos princípios e das praticas da promoção da saude, devendo para isso, criar mecanismos de avaliação do processo.
A estratégia de Escola Promotora de Saúde surge no final dos anos 80, como parte das mudanças conceptuais e metodológicas que incorporam o conceito de promoção da saúde na saúde pública, estendendo-o ao mundo escolar. A promoção da saúde, como estratégia eficaz para melhorar a saúde e a qualidade de vida, teve um grande desenvolvimento com a Carta de Ottawa (Canadá, 1986), que define o conceito de Promoção da Saúde como “...o processo destinado a dotar os indivíduos para exercerem um maior controlo sobre sua saúde e sobre os factores que podem afecta-la... reduzindo os factores que podem resultar em risco e favorecendo os que são protectores e saudáveis... A saúde é o resultado dos cuidados que cada indivíduo dispensa a si mesmo e aos demais, da capacidade de tomar decisões, de controlar sua própria vida e de garantir que a sociedade em que vive ofereça a todos os seus membros a possibilidade de gozar de um bom estado de saúde.”
A partir da Carta de Ottawa, surgiram outros compromissos que reafirmam os seus princípios (Declaração de Adelaide, 1998; Declaração de Sundsvall, 1991; Declaração de Bogotá, 1992; Declaração de Jakarta,1997; Declaração do México, 2000; Declaração do Chile, 2002).
As Escolas Promotoras de Saúde, tem três componentes relacionados entre si:
1) Educação para a saúde integral, incluindo o desenvolvimento de competências para a vida;
2) Criação e manutenção de ambientes físicos e psico-sociais saudáveis;
3) Oferta de serviços de saúde, alimentação saudável e vida activa.

A educação para a saúde integral responde às necessidades do aluno em cada etapa do seu desenvolvimento. Visa a saúde como uma construção social, abordando a inter-relação dos problemas de saúde com os seus factores determinantes, dentro de cada contexto. Incorpora a Educação para Saúde em nível curricular e como parte do projecto institucional. Utiliza todas as oportunidades educativas a nível formal e informal para promover a saúde. Promove a reflexão e a análise crítica da informação; facilita a tomada de consciência dos estudantes e da comunidade educativa como um todo. Procura desenvolver novos conhecimentos e habilidades que contribuam para a adopção e manutenção de estilos de vida saudáveis, por meio de técnicas participativas e actividades significativas que possam transcender o âmbito escolar.
A criação e manutenção de ambientes físicos e psicossociais saudáveis implica a promoção de um ambiente escolar físico seguro, limpo e com estrutura física adequada; com um ambiente psico-social que promova relações interpessoais positivas, sem agressão, violência, álcool ou drogas; com igualdade nas questões de género, estimulante para todos os seus membros e que favoreça a aprendizagem. Este componente promove a escola como um espaço de trabalho saudável, tentando melhorar, por meio do diálogo e do consenso, as condições de trabalho e estudo.
A oferta de serviços de saúde, alimentação saudável e vida activa está direccionada à detecção e à prevenção integral de problemas de saúde, através da atenção precoce e acompanhamento correspondente e apropriado. Este componente pretende fortalecer o vínculo entre a escola e a equipe de saúde, para que as actividades se complementem e se reforcem mutuamente. Também implica na articulação entre os sectores da saúde e da educação para definir as necessidades, os problemas de saúde e os métodos pertinentes e apropriados para abordá-los.
Na grande maioria das escolas, existem refeitórios e cantinas escolares, mas é necessário avaliar o tipo de alimentos que se oferecem aos alunos, procurando garantir, na oferta, opções para que possam escolher alimentos saudáveis. Ao mesmo tempo, a escola é o lugar ideal para promover uma vida activa, que faz parte do desenvolvimento de estilos de vida saudáveis.

A Rede Europeia de Escolas Promotoras de Saúde (REEPS) foi constituída para promover, através do Gabinete Regional para a Europa da Organização Mundial de Saúde (OMS), um grupo de escolas modelo que demonstrassem o impacto da promoção da saúde no meio escolar.
O desenvolvimento de uma escola promotora de saúde (EPS) assenta nos seguintes princípios:
• A promoção da saúde é um processo de desenvolvimento permanente;
• O processo educativo e a promoção da saúde contribuem para o desenvolvimento de capacidades e aquisição de competências de cada indivíduo para confrontar-se positivamente consigo próprio e com o meio, construir um projecto de vida, desenvolver hábitos saudáveis e exercer plenamente a cidadania;
• O envolvimento dos diversos elementos da comunidade educativa, valorizando a participação activa dos adultos de referência.


Objectivos:
• Debater problemas pertinentes da promoção da saúde na escola;
• Reconhecer a prevenção como um forma de luta contra a doença;
• Desenvolver trabalhos / campanhas de divulgação da prevenção de doenças;
• Contribuir para a formação dos professores numa perspectiva de educação para a saúde;
• Permitir a troca de experiências entre os docentes das diferentes área disciplinares;
• Promover activamente a auto-estima de todos os alunos pela demonstração de que cada um possui um potencial susceptível de desenvolvimento e aperfeiçoamento, e gerador de uma melhor qualidade de vida;
• Desenvolver boas relações entre adultos e jovens e dos jovens entre si, no dia a dia da escola;
• Clarificar os objectivos sociais da escola para jovens e adultos.
• Proporcionar desafios estimulantes para todos os alunos através de um plano de actividades;
• Utilizar todas as oportunidades para melhorar o meio físico envolvente da
escola;
• Desenvolver laços entre a escola, família e a comunidade;
• Promover activamente a saúde e o bem-estar da comunidade escolar;
• Promover activamente a importância do papel do pessoal docente e não docente, enquanto adultos - referência, em questões ligadas à saúde;
• Considerar o papel importante das refeições escolares relativamente ao desenvolvimento da educação para a saúde;
• Reconhecer o potencial dos serviços especializados da comunidade para aconselhamento e suporte na educação para a saúde;
• Envolver os pais/encarregados de educação na problemática da Educação para a Saúde;
• Criar estruturas de acompanhamento/aconselhamento dos alunos.

Uma escola promotora de saúde é caracterizada como:
• uma escola que reforça constantemente a sua capacidade de se constituir como setting saudável para viver, aprender e trabalhar (OMS 1998);
• que promove a saúde e a aprendizagem com todas as ferramentas que tem à sua disposição; reúne profissionais de saúde e da educação, professores, estudantes, pais e membros/líderes da comunidade num esforço conjunto para promover a saúde;
• que pode favorecer a criação de um ambiente escolar saudável, educação escolar para a saúde e criação de serviços de saúde nas escolas, numa perspectiva de desenvolvimento de projectos nos quais participem a escola e a comunidade, no âmbito do equilíbrio nutricional e da segurança alimentar;
• que pode melhorar a saúde da população escolar, estudantes, professores e demais funcionários, bem como famílias e membros de comunidade;
• que pode desenvolver trabalhos com os líderes da comunidade para ajudá-los a compreender como a comunidade contribui para a saúde e educação.

Desde os 1950 que as escolas são reconhecidas como um setting popular para a promoção e educação para a saúde.

A OMS estabeleceu um conjunto de guidelines sobre as quais as escolas teriam de trabalhar para que alcançassem o estatuto de escola promotora de saúde, que cobrem seis áreas:
• Construção de políticas públicas saudáveis
• Criação de ambientes de suporte
• Reforço da acção comunitária
• Desenvolvimento de competências pessoais
• Reorientação dos serviços de saúde

A saúde e o bem estar do pessoal escolar é importante para a promoção da saúde na escola. O entusiasmo e o compromisso da população escolar são importantes para o desenrolar dos programas escolares de promoção da saúde. Um ou dois elementos desligados do processo podem comprometer toda a implementação de um programa. No entanto, professores demasiado comprometidos ou pouco apoiados podem encontrar dificuldades em iniciar novos programas (Lister-Sharp, 1999).
A abordagem pelo modelo das escolas promotoras de saúde (EPS) mostrou ter benefícios ao nível de (Stewart-Brown, 2006):
• Ambiente físico e social da escola
• Desenvolvimento da comunidade escolar
• Oferta alimentar
• Oferta de programas de exercício físico

O mesmo autor, refere estudos que encontraram evidência de melhorias ao nível dos comportamentos de saúde, tais como comportamentos relacionados com a ingestão alimentar, bem como evidência de que a abordagem da EPS traz benefícios ao nível do bem estar mental e social, tal como boa auto-estima e diminuição de comportamentos agressivos.
Contudo, não há evidência de que este tipo de abordagem é mais efectiva do que outras abordagens para a promoção da saúde nas escolas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE O SEU COMENTÁRIO, FICAREI MUITO FELIZ.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...